BM Tec amplia portfólio de soluções

Especializada em prestar consultoria para empresas com o sistema de gestão Totvs Protheus, a empresa BM Tec incorporou uma nova solução em seu portfólio para atender uma demanda importante dos seus clientes: o lançamento automático de documentos fiscais de entrada no ERP Protheus.

Sobre a BM Tec

A BM Tec atua no mercado de tecnologia desde 2017 com serviços de consultoria, suporte, implantação e treinamento de clientes com o ERP Protheus, tendo como seu maior objetivo maximizar o desempenho das empresas na utilização do ERP, através de uma ampla experiência e um elevado padrão de atendimento.

São os pilares da empresa: Confiança, Simplicidade e Parceria.

Contudo, a empresa também passa a implantar e dar suporte ao software de controle de documentos fiscais ConexãoNF-e.

ConexãoNF-e: Controle fiscal integrado ao ERP Protheus

Fundada em 2008, a ConexãoNF-e fornece soluções especializadas na gestão e controle de documentos fiscais eletrônicos, prevendo a redução de esforços humanos aplicados em processos burocráticos, como o recebimento e armazenamento do arquivo XML através de externos e o lançamento manual de notas fiscais e conhecimento de transporte no sistema de gestão empresarial ERP.

Como funciona?

A ferramenta da ConexaoNF-e estabelece conexão com a SEFAZ e recebe todas as NF-e e CT-e emitidas contra o CNPJ do cliente. A partir disso, os documentos de entrada são listados para lançamento no ERP da empresa de forma automática, dispensando a necessidade de digitação e permitindo configurações diretas de forma facilitada, como a vinculação (também automática) do pedido de compras.

A solução integra tanto com o ERP Totvs Protheus, quanto Totvs Datasul e SAP B1.

Teste gratuito

Uma das grandes vantagens da ferramenta é o período de 7 dias grátis para testar. O sistema é implantado na base do cliente, propondo que a otimização dos processos seja atestada na prática antes da contratação.
Além da importação automática, a solução oferece outros benefícios para prevenir multas, pagamentos indevidos e lançamento de documentos fiscais fraudulentos no ERP. Confira aqui!

 

Segundo Isabel Melo, Diretora da BM Tec, as funcionalidades da ConexãoNF-e já trouxeram resultados positivos para as empresas que presta consultoria e implantaram a solução:

“Todos os nossos clientes possuem a necessidade de importar XML´s. Tanto para agilizar o processo de entrada de notas fiscais, quanto para solucionar problemas por inconsistências/erros de digitação. A Conexão-NFe oferece um pacote completo de soluções para esses casos. Ela também oferece o armazenamento dos arquivos fiscais em um local único e seguro.”

 

Isabel ainda completa falando sobre a parceria:

 

“Um benefício importante é a evolução da ferramenta. Nós da BM Tec queremos oferecer o que tem de melhor para nossos clientes e a Conexão-NFe está alinhada com isso. Pois está constantemente buscando inovação e agregando valor ao produto.”

 

Ficou interessado na solução? Faça contato conosco.

BM Tec está localizada na Rua dos Ferroviários, nº 46, sala 307 em Esteio/RS.
Site da empresa: http://bmtecbrasil.com.br/

Divulgada as etapas de implantação do GTIN na NF-e e NFC-e

Em Agosto de 2018, foi publicada uma nova versão da Nota Técnica 2017.001 que trata do GTIN na NFe 4.0. Esta norma traz novas datas para a implantação das regras de validação do GTIN que haviam sido postergadas.

As regras serão implementadas em etapas, conforme plano de implantação abaixo e devem entrar em vigência em produção a partir de Fevereiro de 2019. As etapas previstas para “Implementação Futura” serão divulgadas em nova versão da Nota Técnica.

Atenção! A validação só é aplicada para as empresas que possuem código GTIN. A Sefaz deixa claro que as demais empresas não precisam se associar ao GS1 para adquirir um código GTIN e entrar nessas regras.

Etapas de Implantação

A implantação das regras foram divididas em 5 fases e valem tanto para NFe quanto para NFCe:

  • Etapa 1 – regras do GTIN já implantadas
  • Etapa 2 – validação de acordo com CNAE e NCM
  • Etapa 3 – validação se todas as NFe e NFCe possuem os campos cEAN e cEANTrib com alguma informação
  • Etapa 4 (Implementação Futura) – verificação a existência do código GTIN no CCG
  • Etapa 5 (Implementação Futura) – verificação se GTIN é compatível com o NCM e CEST

Etapa 1
A primeira Etapa indica as regras de validação que já foram implantadas para a versão 4.0 da NFe desde a versão 1.10 da NT divulgada em Dezembro de 2017. As regras verificam apenas a estrutura do código de barras validando seu tamanho, prefixo e se está vazio.

São as seguintes rejeições:

  • Rejeição 611: GTIN (cEAN) inválido [nItem:999]
  • Rejeição 612: GTIN da unidade tributável (cEANTrib) inválido [nItem:999]
  • Rejeição 882: GTIN (cEAN) com prefixo inválido [nItem:999]
  • Rejeição 884: GTIN da unidade tributável (cEANTrib) com prefixo inválido [nItem:999]
  • Rejeição 885: GTIN informado, mas não informado o GTIN da unidade tributável [nItem:999]
  • Rejeição 886: GTIN da unidade tributável informado, mas não informado o GTIN [nItem:999]

Etapa 2
Já na segunda Etapa serão implantadas as validações por grupo de CNAE e NCM. Esta validação será feita conforme cronograma publicado no Anexo I.01. A vigência em produção começa no dia 4 de Fevereiro de 2019. Para homologação, o prazo já começou em Setembro.

Segue abaixo a tabela publicada na norma.

Caso o cronograma não for seguido, a Sefaz poderá rejeitar as notas de acordo com a seguinte regra:

  • Rejeição 889: Obrigatória a informação do GTIN para o produto [nItem:999]

Etapa 3
Na terceira fase serão validadas se todas as NFes e NFCes possuem o código GTIN informado ou possuem o literal “SEM GTIN”, para as empresas não filiadas ao GS1. As regras de validação serão implantadas em homologação a partir de 01 de Dezembro de 2018, porém em produção o prazo é a partir de 06 de Maio de 2019.

As seguintes rejeições poderão ser aplicadas:

  • Rejeição 883: GTIN (cEAN) sem informação [nItem:999]
  • Rejeição 888: GTIN da unidade tributável (cEANTrib) sem informação [nItem:999]

Etapa 4
A quarta Etapa de validação está descrita como “Implementação futura” e contém regras de validação que verificam a existência do código GTIN no Cadastro Centralizado de GTIN (CCG). Elas serão implantadas por grupo de CNAE e NCM, assim como a Etapa 2, e o cronograma deve ser divulgado em versão futura da norma.

Serão validadas as seguintes regras:

  • Rejeição 890: GTIN inexistente no Cadastro Centralizado de GTIN (CCG) [nItem:999]
  • Rejeição 894: GTIN da unidade tributável inexistente no Cadastro Centralizado de GTIN (CCG) [nItem:999]

Etapa 5
A última Etapa também marcada como “Implementação futura” verificam, além da existência do código GTIN no CCG, se o código é compatível com o NCM e CEST contido na NFe ou NFCe. O cronograma também será divulgado no futuro.

Serão aplicadas as rejeições:

  • Rejeição 891: GTIN incompatível com a NCM [nItem:999; NCM esperada: 99999999]
  • Rejeição 892: GTIN incompatível com CEST [nItem:999; CEST esperado: 9999999]
  • Rejeição 893: GTIN da unidade tributável diverge do GTIN Contido cadastrado no CCG [nItem:999; GTIN Contido esperado: 99999999999999]
  • Rejeição 895: GTIN da unidade tributável incompatível com a NCM [nItem:999; NCM esperada: 99999999]
  • Rejeição 896: GTIN da unidade tributável incompatível com CEST [nItem:999; CEST esperado: 9999999]

NT_2017_001_v1_40:  http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=6vG2Di8cIhM=

Bem-vindo!

Seja bem-vindo ao blog da BM Tec Brasil, em breve novidades sobre o mundo Protheus para você ficar informado sobre as alterações do sistema!